Give Me All Your Lovin’ – recados

Recados à Give Me All Your Lovin’, vídeo recentemente lançado e dirigido pelo ‘até-que-recente-porque-são-3-anos-e-meio’ grupo francês MegaForce:

Madonna, por favor, aguardo ansiosamente por um lançamento original, exclusivo, único – como foi a sua marca registrada nos anos 90. cadê algo forte como Erotica, como Justify My Love, como Ray of Light, como Frozen, Jesus? o público gosta de hinos, não de músicas que serão esquecidas daqui a 3 anos!
– aliás, te vejo dia 14/07 no Stade de France UHUUU –

M.I.A., te adoro, te admiro pra cacete. mas te ver de cheerleader cantando agudinho “L.U.V. Madonna!” foi de ‘cair o cu da bunda’. mesmo você lançando uma música/vídeo foda no mesmo dia, preciso dizer que essa imagem me abalou. e me faz pensar ‘por que eu vou ter peso na consciência de fazer esse trabalho se até a M.I.A. já fez aquele?’. obrigado, na verdade!

Nicki Minaj, você continua u.ó. (só eu acho que o tempo dela vai passar em alguns anos?)

Megaforce, se joguem!

o clipe é divertidinho, bem feitinho, mas to achando que esse cd vai ser um mico.
espero pagar a minha língua!


O poder da cabala

“Nenhuma abracadabra, nenhum truque ou enganação. Nada a ver com dogma religioso. As ideias contidas nesse livro são de fazer a terra tremer, e, ao mesmo tempo, são muito simples.” – Madonna

Por incrível que pareça, é com um livro com essa chamada no topo que eu pauso minha leitura (tão extensa, intensa e prazerosa) do “A História da Arte”, Gombrich, para dar mais um passo na minha maturidade emocional: “O Poder da Cabala“, de Yehuda Berg.

Não: não é pela Madonna. Tenho escutado muito sobre a cabala no meu ambiente, digamos, profissional e achei que esta poderia ser mais uma forma de aprender a lidar comigo mesmo – e com os outros. Sim, sou um cara absolutamente ateu e cético, e por isso mesmo sei que não vou virar cabalista: mas mais tolerável, mais disposto e menos intenso…

Sobre a cabala, os próprios conceitos básicos e iniciais não me conquistaram. talvez porque a forma em que o livro apresenta a cabala é absolutamente patética, como se fosse escrito para crianças – e cheio de mistérios e segredinhos. mas o conceito que a gente consegue extrair, em si, parece rico, ou pelo menos útil. O livro diz, num exemplo bem raso, que é inútil se estressar com trânsito, filas, cagadas… afinal, eles estão ali apenas para testar a gente e nos impedir de enxergarmos o mundo por uma visão maior. se aplicarmos isso para os nossos problemas maiores e as situações mais graves, imagine o alívio que podemos chegar!

 

a palavra chave da cabala é Proatividade. ao invés de sermos reativos (nos deixarmos ser afetados por fatores externos) devemos comandar a situação, sempre. ser a causa, ser o criador de tudo. e é isso que a cabala prega, exige, ensina.

ainda estou na metade do livro, e espero terminá-lo logo. parece que vai me fazer bem sim, e esse é um momento que estou precisando! – e talvez você também


outra mala em outro corredor

não me chamem de brega nem de melodramático. não sou.


[Eva:]
I don’t expect my love affairs to last for long
Never fool myself that my dreams will come true
Being used to trouble I anticipate it
But all the same I hate it, wouldn’t you?

[Chorus:]
[Eva:] So what happens now?
[Che:] Another suitcase in another hall
[Eva:] So what happens now?
[Che:] Take your picture off another wall
[Eva:] Where am I going to?
[Che:] You’ll get by, you always have before
[Eva:] Where am I going to?

Time and time again I’ve said that I don’t care
That I’m immune to gloom, that I’m hard through and through
But every time it matters all my words desert me
So anyone can hurt me, and they do

[chorus]

Call in three months time and I’ll be fine, I know
Well maybe not that fine, but I’ll survive anyhow
I won’t recall the names and places of each sad occasion
But that’s no consolation here and now.

[chorus, with Che’s lines being sung by the starlets]

[Huevo:]
Don’t ask anymore.


madonna pra mim!

marcel badan

Era verão…. dia 20/12/08… minha vida nunca mais seria a mesma. Há um ano atrás (ok, agora é 1am do dia 21/12, mas anyway!) eu passei por um dos dias mais marcantes desde q nasci. aos 21 anos, eu finalmente consegui de perto o maior ícone da minha vida! nunca vou esquecer dos berros, da energia, da emoção, de tanta choradeira (nos 3 shows, mas no do dia 20 foi absurdo, pq eu tava no vip) enfim. foi ótimo encerrar o ano dessa forma!! amei! melhor do que qualquer sessão de terapia!!!


torpedo-bomba

talvez vcs não sabem, mas Erotica, da Madge, é uma das maiores músicas da minha vida. realmente representou algo, lá em 93, quando eu tinha 6, e até hj é uma música q me deixa em alfa!
pois bem, ao som (e imagem) do clipe, venho escrever esse post sobre um momento tão triste nas nossas vidas que todos precisamos passar: deletar torpedos antigos.

pois é, meu cel tá meio de chico, meio temperamental, desliga na cara das pessoas, trava, lerdo, beijos. decidi limpar o fofo e achei das mais diversas mensagens, tenho mania de guardá-las. claro, mensagens de amigos fofos, mamãe, do tcc, da vivo (af), de jesuscristo. mas tb daqueles cuja presença eu deletaria, né? sempre tem, sempre sobram. mas sabe, deletei mesmo, deletei vários, quase todos (menos de um, especial) e revivi alguns péssimos momentos, péssimos sentimentos. normal. foi uma retrospectiva 2009 repleta de desastres e algumas lindas mensagens de conforto, mas enfim, sinto-me melhor agora!

o problema maior foi – depois de uma limpeza mais agressiva que a de pele – meu celular continuar lerdo! hunf…


Madonna’s Best Albums Ever

fernandinho me pediu uma lista de best albums from madge, here it goes:

12 – Madonna
11 – Like a Virgin
10 – Like a Prayer
9 – I’m Breathless
8 – True Blue
7 – Music
6 – Bedtime Stories
5 – Erotica
4 – Hard Candy
3 – Ray of Light
2 – American Life
1 – Confessions on a Dancefloor


falei mesmo! fui polêmico, né?! aposto! todas gay gostam de like a prayer e abominam american life!

soy el oposto,

tsá?!